jump to navigation

Quem inventou o carro? Abril 19, 2007

Posted by smart14 in História do Carro.
16 comments

Ninguém inventou o carro. Tal como a humanidade, este resultou de um processo evolutivo.

O primeiro carro com um motor de combustão interna Abril 18, 2007

Posted by smart14 in História do Carro.
11 comments

mt1.jpg

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/5/53/Benz_Patent_Motorwagen_1886_(Replica).jpg/300px-Benz_Patent_Motorwagen_1886_(Replica).jpg

O Benz Patent Motorwagen foi o primeiro carro com um motor de combustão interna. Este foi construído por Karl Benz em 1885. O carro era composto por 2 lugares, 3 rodas e podia alcançar a velocidade máxima de 13 km/h.

Biografia de Karl Benz Abril 17, 2007

Posted by smart14 in História do Carro.
1 comment so far

Karl benz

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/f/fd/Carl-Benz_coloriert.jpg/180px-Carl-Benz_coloriert.jpg 

Karl Benz nasceu no dia 25 de Novembro de 1844, filho de um condutor de locomotivas
em Karlsruhe. O pai morreu apenas dois anos depois do nascimento de Karl. Apesar dos recursos financeiros limitados, a mãe deu-lhe uma boa educação.Em 1871, Karl Benz fundou junto com o “mecânico” August Rittler a sua primeira firma
em Mannheim. Em 1872, Bertha Ringer e Karl Benz casaram-se. Mais tarde, Bertha seria crucial para o sucesso da jovem empresa. Ela realizou a primeira viagem de longa distância do mundo, transformando-se na primeira automobilista feminina da história. Karl e Bertha tiveram juntos cinco filhos.No início, os negócios de Karl Benz iam muito mal. Para encontrar uma boa base existencial, Karl Benz dedicou-se intensamente a motores de dois tempos, dos quais o primeiro motor funcionou satisfatoriamente pela primeira vez em 1879, depois de dois anos de desenvolvimento.Em 1882, com novos investidores e participantes, assim como a ajuda financeira dos bancos, transformaram a empresa numa sociedade por acções e dominavam a firma “Gasmotoren-Fabrik Mannheim”. Karl Benz tinha 5% das acções e era um dos directores, mas os seus associados queriam influenciar as suas construções, levando Karl Benz a sair da jovem companhia já em 1883.Benz conseguiu no mesmo ano, apoio financeiro dos investidores Max Rose e Friendrich Wilhelm Esslinger. Em Outubro de 1883 fundaram a firma “Benz & Co. Rheinische Gasmotoren-Fabrik”. A empresa expandiu-se rapidamente para 25 trabalhadores e até licenças para a construção de motores a gasolina podiam ser vendidas. Benz podia dedicar-se sem problemas ao desenvolvimento dos seus motores automobilísticos. Assegurado financeiramente, ele começou com a construção de um veículo de concepção própria.Em 1886, ele recebeu uma patente pelo veículo e introduziu o seu primeiro veículo Benz ao público.Na virada do século, a Benz & Co. transformou-se na maior fabricante automobilística do mundo. De 1890 a 1899, o número de trabalhadores subiu de 50 para 430 homens. Neste ano foram construídos 572 veículos pela Benz & Co.No dia 24 de Janeiro de 1903, Karl Benz retirou-se da vida activa da companhia, passando a fazer parte do conselho de administração. Com Karl Benz saíram também os seus filhos Eugen e Richard; Richard contudo voltaria em 1904 como gerente de vendas da divisão de automóveis de passageiros. Em 1906, Karl Benz fundou a companhia “Karl benz Söhne”, em Ladenburg, cujos proprietários eram Karl Benz e o seu filho Eugen. Em 1912, Karl Benz retirou-se da actividade, deixando os seus dois filhos na direcção. Em 1923, o último veículo foi produzido, embora um ano mais tarde ele tivesse montado ainda dois veículos, que Karl Benz utilizou como veículos privados e de uso comercial. Karl Benz faleceu no dia 4 de Abril de 1929, em sua casa
em Landenburg. Hoje a sua casa transformou-se na Fundação Karl Benz e Gottlieb Daimler, como sede da fundação sendo também utilizada como centro de eventos.

benz&co 

http://www.daimlerchrysler.com.br/historia/biografia/karl/benz&co.jpg

O primeiro carro a ser produzido em série Abril 16, 2007

Posted by smart14 in História do Carro.
1 comment so far

Model T

http://www.musclecarclub.com/other-cars/classic/ford-model-t/images/ford-model-t-1a.jpg

História

Em Abril de 1908, a Ford lança no mercado dos Estados Unidos, o Model T, um veículo robusto, seguro, fácil de guiar e principalmente barato. Qualquer um era capaz de guiá-lo ou consertá-lo, sem precisar de motorista ou mecânico. A fabricação deste modelo ganhou um notável incremento a partir de 1913, quando Henry Ford, inspirado nos processos produtivos dos revólveres Colt e das máquinas de costura Singer, implanta a linha de montagem e a produção em série, revolucionando a indústria automobilística. O Model T era o primeiro carro projectado para a manufactura. Com estas inovações, em vez de um operário ficar responsável pela produção de todas as etapas de um carro, várias pessoas ficavam responsáveis pela produção de etapas distintas de vários carros. Henry Ford criou um engenhoso sistema de esteira, que movimentava o carro em produção em frente aos operários, para que cada um executasse a sua etapa. Isto aumentou em muito a produtividade, pois um carro ficava pronto a cada minuto. E a queda de preço foi constante: em 1908, ano de seu lançamento, uma unidade custava US$ 850; em 1927, último ano de sua fabricação, o preço tinha descido para US$ 290.Por estas razões, o Model T conquistou o público americano e de outros países. Em 1914 é iniciada a sua fabricação na Argentina. Em 1917, é lançado o camião Modelo TT. Em 1919, a Ford torna-se a primeira fabricante de automóveis no Brasil, com a produção do carro e do camião dessa linha. Em 1920, mais da metade dos veículos que circulavam ao redor do mundo eram modelos T e podiam ser vistos até em países distantes como Turquia e Etiópia.Durante a Primeira Guerra Mundial, o Modelo T foi empregado amplamente, até mesmo como ambulância. A produção do Modelo T foi mantida até 1927. Henry Ford concluiu que era hora de o Modelo T ceder o lugar a uma nova geração de produtos.

Características

Pintura

Até 1914, o Model T foi fabricado em uma série de cores de acordo com a preferência dos consumidores. Em 1915, para cortar custos, o Model T passou a ser produzido exclusivamente na cor preta, situação que perdurou até 1926.

Tanque de combustível

Ficava sob o assento do passageiro da frente. Era preciso retirar o assento para abastecer.

Opcionais

Excepto em alguns períodos e para alguns modelos, faróis e buzinas eram oferecidos como opcionais, mediante pagamento adicional. O farol auxiliar do motorista, eléctrico, com controlo interno, muito útil numa época de má iluminação pública, sempre foi oferecido como opcional.

Biografia de Henry Ford Abril 15, 2007

Posted by smart14 in História do Carro.
6 comments

henry1.jpg 

http://www.americaslibrary.gov/assets/jb/civil/jb_civil_ford_1_e.jpg

Henry Ford nasceu no dia 30 de Julho de 1863, no estado do Michigan (EUA). Era filho de imigrantes irlandeses, William e Mary Ford, que se tinham fixado numa quinta
em Dearborn. Aos 16 anos, Henry Ford, que não gostava nem da escola, nem de ajudar o pai nos trabalhos manuais de campo, por pensar que essas tarefas se podiam fazer mecanicamente com vantagem sobre todos os pontos, partiu para Detroit à procura de emprego. Começou a trabalhar como aprendiz numa oficina, onde aprendeu tudo acerca do motor de combustão interna. Após alguns anos, Henry voltou para casa, e para além de ajudar na lavoura da família trabalhava em part-time na WestingHouse Engine Company. Com espírito aventureiro e independente, acabou a consertar motores e máquinas.Casou em 1888 com Clara Bryant. Anos mais tarde, Henry e sua mulher mudaram-se para Detroit, onde Henry foi nomeado engenheiro chefe da Detroit Edison Company, onde viria a ser a General Electric. O cargo obrigava a Henry estar 24 horas por dia a trabalhar, mas ao mesmo tempo dava-lhe a oportunidade de fazer experiências, na medida em que se tornou colaborador directo e amigo íntimo do seu patrão, Thomas Edison.Entretanto, Henry Ford já tinha tentado construir veículos movidos a gasolina e carruagens motorizadas até conseguir que o seu primeiro veículo estivesse completo.Durante os anos que se seguiram, Ford continuou a tentar melhorar o motor dos seus veículos. Em complemento, construiu um carro de corrida que ele próprio conduzia. Em 1903 produziu um automóvel que estava pronto a introduzir no mercado e, por essa altura, não tendo capital próprio, fundou a Ford Motor Company com a estratégia de arranjar o capital necessário com o dinheiro dos cidadãos de Detroit. Em 1908 introduziu no mercado o famoso Model T, cujo projecto inicial havia começado 19 anos atrás a ser concebido e construído. Foi aí que foi construído o primeiro carro feito
em série. Pouco tempo depois da formação da Ford Motor Company, Henry Ford foi ameaçado pela Associação dos Fabricantes de Automóveis. Após anos de luta em tribunais, Ford ganhou o caso em 1911, acabando com o monopólio e assim viabilizando que outros pudessem tornar-se construtores do ramo automóvel. Devido à sua avançada tecnologia de produção, Ford conseguiu que o seu Modelo T fosse comercializado com sucesso. A fábrica da Ford Motor Company,
em Highland Park, no Michigan, introduziu a primeira linha de montagem em 1913, reduzindo drasticamente o tempo gasto na montagem dos veículos. Instituiu igualmente o salário mínimo de US$5,00 diários, o que, segundo Ford, fez aumentar significativamente a produção.Em 1926, Ford começou a perder vendas para o seu principal concorrente, a General Motors, porque o Model T estava ultrapassado. As fábricas Ford fecharam durante cinco meses, após Henry Ford introduzir o Model V8, que apesar de ter tido algum sucesso, foi ultrapassado pela General Motors e pela Chrysler.Apesar do filho Edsel Ford ter sido nomeado presidente em 1919, o pai continuava com um controlo total da Companhia. O seu filho Edsel morreu em 1943 e Henry Ford voltou ao cargo de presidente. Contudo, já tinha sofrido dois enfartes e, dois anos mais tarde, passou o cargo de presidente para o neto, Henry Ford II. Henry Ford faleceu no dia 7 de Abril de 1947.

Em busca do conforto Abril 14, 2007

Posted by smart14 in História do Carro.
add a comment

buska1.jpg

O automóvel, embora tenha sido criado na Europa, foi aperfeiçoado nos Estados Unidos. A indústria americana apercebeu-se rapidamente do quanto era importante aperfeiçoar o automóvel. Os técnicos envidaram esforços para tornar os veículos mais confortáveis e originais.

KDF Abril 13, 2007

Posted by smart14 in História do Carro.
add a comment

 KDF

http://www.mrvirtual.com.br/catalogo2/images/fusca.jpg    
 
 

Produção: 1938 – 2003

  

O KDF foi o primeiro modelo fabricado pela companhia alemã Volkswagen. Foi o carro mais vendido no mundo, ultrapassando em 1972 o recorde do Ford modelo T. O último modelo do KDF foi produzido no México em 2003. 

 História 

 A história do KDF é uma das mais complexas e longas da história do automóvel. Diferente da maioria dos outros carros, o projecto do KDF envolveu várias firmas e até mesmo o governo do seu país, e levaria à fundação de uma fábrica inteira de automóveis no processo. Alguns pontos são obscuros ou mal documentados, já que o projecto inicialmente não teria tal importância histórica, e certos detalhes perderam-se com a devastação causada pela Segunda Guerra Mundial. Muitos livros já foram escritos sobre o tema.  

 Apoio de Hitler 

 Nesta época Hitler tinha tomado o poder na Alemanha e estava comprometido com a modernização do país e a recuperação da economia, principalmente do emprego. Entusiasta por carros desde a juventude, Hitler era familiar com a ideia do carro do povo desde os tempos da prisão, onde leu sobre Henry Ford. Para ele a ideia de um “carro do povo” feito por trabalhadores alemães e viajando por todo o país era a exacta realização desta plataforma política. Três opções de engenheiros lhes foram oferecidas: Joseph Ganz, Edmund Rumpler e Ferdinand Porsche. Os primeiros dois eram judeus, e obviamente não agradaram Hitler. Já Porsche era famoso pelo seu trabalho na Daimler, carros que Hitler gostava, e talvez mais importante, era amigo de Jacob Werlin, amigo e assessor para assuntos automobilísticos do ditador.O ditador tinha pronta uma lista de exigências a serem cumpridas por Porsche, caso o contrato fosse efectivamente firmado. Eis algumas características obrigatórias do carro:*                     O carro deveria carregar dois adultos e três crianças (uma família alemã da época, e Hitler “não queria separar as crianças de seus pais”). *                     Deveria alcançar e manter a velocidade média de 100 km/h. *                     O consumo de combustível, mesmo com a exigência acima, não deveria passar de 13km/litro (devido à pouca disponibilidade de combustível). *                     O motor que executasse estas tarefas deveria ser refrigerado a ar, (pois muitos alemães não possuíam garagens com aquecimento) *                     O carro deveria ser capaz de carregar três soldados e uma metralhadora *                     O preço deveria ser menor do que mil marcos imperiais (o preço de uma boa motocicleta na época).

O ditador solicitou que Porsche deveria registar as suas ideias no papel, e ele fez o que lhe era mandado em 17 de Janeiro de 1934. Ele encaminhou uma cópia a Hitler e publicou o seu estudo chamado “Estudo sobre o Desenho e Construção do Carro Popular Alemão”. Ali Porsche discorreu sobre a situação do mercado, as necessidades do povo alemão, a sua convicção na viabilidade de um motor à gasolina e traseiro (ao contrário do que Hitler queria) e, principalmente, fez um estudo comparativo com outros carros alemães frente ao seu projecto, onde concluía pela inviabilidade de vender o carro por menos de 1.500,00 RM. Hitler leu o estudo, mas manteve-se irredutível quanto à questão do preço, o que preocupou Porsche.Após alguns discursos sobre o projecto, Hitler finalmente colocaria a Associação de Fabricantes de Automóveis Alemães (RDA, na sigla em alemão) encarregada da execução do projecto. Apesar dos temores de Porsche, Werlin convenceu-o a aceitar a verba de vinte mil marcos por mês para desenvolver o projecto. Assim, em 22 de Junho de 1934 o contrato foi assinado, e os equipamentos foram instalados na casa de Porsche
em Stuttgart. A equipa de Porsche era liderada por Karl Rabe, e contava com o designer Erwin Komenda, Franz Xaver Reimspiess, Joseph Kales, Karl Fröhlich, Josef Mickl, Josef Zahradnik, e o filho de Porsche, Ferry.

Isetta Abril 12, 2007

Posted by smart14 in História do Carro.
add a comment

bmw-isetta-800.jpg  

http://www.boston-bmwcca.org/friends/images/bmw-isetta-800.jpg

  No dia 9 de Abril de 1953, a empresa italiana Iso Automoveicoli, apresentou no salão de Turim, um projecto iniciado em 1952 chamado Isetta, um automóvel de baixo custo. Feito pelo engenheiro Ermenegildo Preti e o seu colaborador Pierluigi Raggi, possuía características peculiares tais como uma porta frontal para facilitar o acesso ao interior e boa performance para a época (velocidade máxima de 80 Km/h com um consumo aproximado de um litro por 25 km). Apesar das suas peculiares, mas úteis características, a sua fabricação em Itália fechou em 1956. Em 1955, a Iso Automoveicoli concedeu os direitos de produção do Isetta para a empresa brasileira Máquinas Agrícolas Romi e também concedeu licença para a BMW para a fabricação do BMW-Isetta na Alemanha. Só no Brasil foram fabricadas cerca de três mil unidades de 1956 a 1961, muitas das quais ainda hoje permanecem em boas condições nas mãos de coleccionadores.

O carro moderno Abril 11, 2007

Posted by smart14 in História do Carro.
2 comments

mercedes-classe-c-2008.jpg

Mercedes Classe C

http://www.noticiasautomotivas.com.br/img/a/mercedes-classe-c-2008.jpg  

O carro evoluiu bastante até hoje, com a missão de proporcionar um maior conforto às pessoas. Este irá evoluir constantemente no sentido de melhorar todas as suas funções adicionais, sem nunca esquecer a originalidade.

História das Marcas de carros Abril 10, 2007

Posted by smart14 in História do Carro.
add a comment

Agora vamos apresentar a história e modelos de algumas marcas de carros.

Opel Abril 9, 2007

Posted by pepe2 in História do Carro.
2 comments

opel2.jpg

 

http://www.opel-onderdelenbeurs.com/Foto/opel%20embleem.JPG

A fábrica alemã de automóveis Opel foi fundada em 1898, em Ruszelsheim, por cinco irmãos da família Opel. Nesse ano, depois de comprarem a firma Lutzmann, produziram o primeiro carro Opel. Tratava-se de um Opel-Lutzmann com um motor monocilíndrico.
Entretanto, a Opel começou a fabricar, sob licença, viaturas Darracq, até que em 1902 voltou a produzir carros próprios, como o 10/12 de 1800cc, seguido em 1903 por uma versão de quatro cilindros.
A Opel envolveu-se nesta época em corridas de automóveis com bastante sucesso, ao mesmo tempo que fazia aumentar a sua gama de carros para o público em geral.
Após a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), a Opel continuou a comercializar os modelos anteriores ao conflito.
Em 1923 introduziu o conceito de fabricação em série e no ano seguinte apresentou um modelo novo, o 4/12, caracterizado por ser um carro de cor verde.
Em 1928 a General Motors, dos Estados Unidos da América, comprou grande parte das acções da Opel. No ano seguinte, a marca alemã lançou o seu primeiro modelo de oito cilindros, de 6000cc, dentro do estilo norte-americano.
Até 1940 a Opel lançou três modelos importantes e, entretanto, deixou de usar números para os designar. Assim, surgiram, sucessivamente, o Kadett, o Olympia e o Kapitan.
No entanto, aconteceu a Segunda Guerra Mundial entre 1939 e 1945 e a produção de automóveis parou. Logo após o final do conflito, o Kadett reapareceu, mas na Rússia, com a designação Moskovitch. Na Alemanha foi reactivada a produção em 1947 com o Olympia, que em 1953 passou a ser o Opel Rekord.
Em 1962 foi lançado um novo Kadett e em 1968 outro Olympia, que dois anos depois foi substituído pelo Ascona. Ainda em 1970 a Opel apresentou o desportivo Manta.
Em 1982 surgiu um dos carros mais populares de sempre da Opel, o pequeno Corsa, que três anos depois foi redesenhado. Mais de vinte anos depois, após várias reformas, o Corsa continuava a ser vendido em todo o mundo. Em 1986 o Rekord foi substituído pelo Omega, modelo que em 1994 sofreu uma profunda remodelação.
O desportivo Vectra apareceu em 1988, para ser remodelado em 1992.
O também muito popular Kadett foi substituído em 1991 pelo Astra, designação que no Reino Unido já era usada há muitos anos pela Vauxhall, empresa do Grupo Opel.
O pequeno desportivo Tigra, que também fez muito sucesso, apareceu em 1994, tendo por base a versão mais potente do Opel Corsa.
A nível de veículos todo-o-terreno, a Opel lançou em 1991 o jipe Frontera e em 1993 o Monterey, ambos baseados
em modelos Isuzu, do grupo General Motors.
Nos anos seguintes foram continuamente apresentadas novas versões dos carros que já constituíam a gama Opel.

Os carros da marca mais conhecidos actualmente são:

 

 

Opel Corsa

opel_corsa-001.jpg

 http://autoimage.autoweb.cz/opel/Opel_Corsa-001.jpg 

Opel Astra (novo em Setembro 2009) 

http://www.channel4.com/4car/media/features/2008/future-car-drawings/03-large/opel-astra-2009.jpg

 

Opel Agila (novo em Agosto 2008)

http://www.motor-talk.de/images/News/2004-01/12250pix1hires.jpg

Ford Abril 8, 2007

Posted by pepe2 in História do Carro.
5 comments

ford.jpg

http://www.coolhunter.com.br/imagens/ford_1.jpg

A empresa norte-americana construtora de automóveis Ford foi fundada a 16 de Junho de 1903 por Henry Ford e mais onze sócios. Os tempos iniciais foram complicados, apesar da primeira encomenda ter surgido logo em Julho desse ano.
Os primeiros modelos da marca eram nomeados segundo o alfabeto e foram utilizadas as 19 letras iniciais.
A Ford foi, em 1913, a primeira fabricante de automóveis do mundo a recorrer à produção em série, uma inovação que posteriormente foi adoptada por todas as construtoras. A Ford instalou uma linha de montagem em série na fábrica de Highland Park, no estado do Michigan, o que permitiu aos operários permanecerem sempre no mesmo local de trabalho e desempenhar a mesma tarefa. Desta forma a Ford conseguiu melhorar os níveis de produção e tornar as viaturas mais baratas. A Inglaterra foi o primeiro país europeu a adoptar este conceito, numa fábrica da Ford em Manchester.
Em 1908 tinha sido lançado o famoso modelo T que viria a ser o primeiro automóvel a ser produzido
em série. Até 1927 foram vendidos 15 milhões de modelos T.
A Ford tornou-se então num dos maiores construtores do mundo e em 1925 comprou a empresa Lincoln, para se lançar no fabrico de carros de luxo. Na década de 30 criou a divisão Mercury, destinada a produzir automóveis de gama média.
Mas, em 1927, quando deixou de produzir o modelo T, a Ford teve de fechar a fábrica de Detroit enquanto se procedeu a um processo de adaptação para construção do novo modelo A.
Em Agosto de 1931, devido à Grande Depressão iniciada dois anos antes, a Ford teve de fechar a fábrica do Modelo A e as vendas só recuperaram os níveis de 1929 dez anos mais tarde.
No entanto, a partir de 1941, ano em que os Estados Unidos da América entraram na Segunda Guerra Mundial, a Ford passou a construir aviões de combate.
Em 1959 foi lançado na Europa o Ford Anglia, um pequeno carro com um motor de 1100cc, que se tornou num grande sucesso de vendas. Seguiu-se o Ford Cortina, em 1962, e o Escort, em 1968. Este último foi o primeiro carro da marca a ser construído simultaneamente na Alemanha e em Inglaterra, já que até então cada país produzia os seus próprios modelos. Refira-se que carros Ford na Europa sempre tiveram versões diferentes dos vendidos nos Estados Unidos da América.
Em 1967 a Ford estabeleceu-se também na Europa e dois anos depois surgiu o Capri, um carro de aspecto desportivo que cativou uma enorme clientela. Foi produzido até 1986.
Em 1976 começou a ser produzido em Espanha o Ford Fiesta, que viria a ser um dos carros mais populares da marca. Tratava-se um pequeno automóvel que conheceu diversas remodelações e continuou a ser produzido mesmo depois do ano 2000. Pouco depois, em 1982, surgiu o modelo Sierra, uma viatura de gama alta que contra a corrente da época mantinha a opção pela tracção traseira. Mesmo assim foi outro modelo bem sucedido.
O Fiesta, o Sierra e o Escort ajudaram a Ford, na década de 80, a atravessar um dos melhores períodos do seu historial, mas no início da década de 90 a marca sofreu um declínio.
A recuperação surgiu já nos anos 90, principalmente graças ao sucesso do carro de gama média Focus, lançado em 1997 para substituir o Escort. No ano anterior tinha surgido o pequeno e inovador Ford Ka, que na Europa atingiu bons níveis de vendas.
Actualmente o grupo Ford engloba a Lincoln, Mercury, Mazda, a Jaguar, Land Rover, Aston Martin e Volvo.

Os carros da marca mais conhecidos actualmente são:

                                                            Ford Ka (novo modelo 2009)

  

                                                   

                                         Ford Fiesta (novo modelo 2008)

                          Ford Mondeo (novo em 2008)

Toyota Abril 7, 2007

Posted by pepe2 in História do Carro.
add a comment

toyota.jpg

http://www.toyota.co.il/uploads/236/logo%20toyota%203d%20silver.jpg

A construtora japonesa de automóveis Toyota Motor Corporation foi fundada em 1937 por Kiichiro Toyoda, que ficou entusiasmado com a indústria automóvel depois de visitas à Europa e aos Estados Unidos da América.
O primeiro veículo produzido pela marca, o pequeno SA, só apareceu em 1947, após a Segunda Guerra Mundial.
Na sua empresa, Toyoda incrementou o sistema “em cima da hora”, segundo o qual apenas são produzidos os artigos encomendados, evitando desperdícios. Este sistema da Toyota veio a ser seguido pela indústria automóvel no resto do mundo.
Em finais da década de 50, a Toyota iniciou a sua expansão no mundo, depois de se ter recomposto dos prejuízos causados pela Segunda Guerra Mundial (1939-1945).
Assim, em 1957 o modelo Crown começou a ser exportado para os Estados Unidos da América e em 1959 abriu no Brasil a primeira fábrica fora do Japão. Em 1963 a Toyota chegou ao mercado europeu através da Dinamarca. Ainda nesse ano chegou a Portugal graças ao importador Salvador Caetano.
Durante a década de 60 a Toyota passou a rivalizar com os fabricantes locais, muito graças ao sucesso do modelo Corolla, lançado em 1966. O nome Corolla ainda existe hoje em dia, tendo sido alvo de diversas renovações na sua extensa gama.
Portugal foi o primeiro país europeu a fabricar automóveis Toyota na Europa, o que aconteceu em 1971. Em 1992 foi iniciada a construção em série de automóveis e motores na Grã-Bretanha.
Até 2000, só na Europa, a Toyota vendeu dez milhões de viaturas. A marca passou a estar representada em mais de 160 países vendendo perto de seis milhões de viaturas por ano e empregando cerca de 250 mil trabalhadores. A Toyota tornou-se líder de mercado no Japão e Ásia, a marca não-americana mais vendida nos Estados Unidos da América e a marca japonesa mais vendida na Europa.
Em 1999 a Toyota apresentou o pequeno Yaris, o primeiro modelo da marca a ser concebido integralmente na Europa e que viria, no ano seguinte, a ser eleito o Carro do Ano. Depois, também a nova geração dos Corolla foi concebida no continente europeu. A marca deu assim seguimento à política de fabricar na Europa para vender na Europa.
Passado dois anos, a Toyota, depois de vários sucessos no Mundial de Ralis, fez a sua entrada na Fórmula 1, formando uma equipa de raiz, já que se responsabilizou pela construção do motor e chassis.

Em 2006, a Toyota lança outro modelo caracterizado por ser «grande e pequeno», pois é grande por dentro e pequeno por fora. Com o sistema «smart entry and start», com direcção eléctrica no volante e com o seu design apelativo, divertido e agressivo o novo Toyota Yaris está prestes a ser considerado o carro do ano 2007, pelas suas características do novo sentido tecnológico e inteligência.

O carros da marca mais conhecidos actualmente são:

                                                 Toyota Yaris

yaris.jpg

http://arabam.milliyet.com.tr/fuar/2005/frankfurt/toyota_yaris.jpg

                                                  Toyota Corolla

corolla.jpg

http://www.rodavante.com/Admin/Images/clients/rv/raccar/corolla%20sw.jpg

                                                Toyota Aygo

aygo.jpg

http://auto.vl.ru/images/4/7458/31232.jpg

                                                

Nissan Abril 6, 2007

Posted by pepe2 in História do Carro.
1 comment so far

nissan.jpg

http://www.fergytrux.com/Nissan%20logo.jpg

A marca japonesa de automóveis Nissan surgiu em 1934, embora só em 1937 tenha construído o primeiro carro.
O nome Nissan é proveniente de Nihon Sangyo, que quando comprou a Jidosha Seizo Co., em 1934, lhe mudou a designação recorrendo às primeiras letras do seu nome. Inicialmente a fábrica produziu carros Datsun, mas em 1937 construiu o primeiro carro com nome Nissan, o modelo 70.
Após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), a Nissan ficou a ser controlada pelos norte-americanos, vencedores do conflito. Desde logo reiniciou-se a construção de automóveis. Os norte-americanos deixaram a Nissan em 1955, e esta fez um acordo com a Austin, de Inglaterra. Assim, a Nissan passou a montar modelos A40 e A50 da Austin. Dada esta cooperação, o primeiro Nissan do pós-guerra, o Bluebird, era bastante semelhante aos modelos ingleses.
A Nissan reconquistou o seu espaço no mercado e em 1960 começou a comercializar viaturas na Europa, através dos modelos Cedric, Laurel, Fairlady e Violet. A Nissan destacou-se pelos preços baixos e pela fiabilidade.
Em 1969 a Nissan lançou o 240Z, um carro bastante bem sucedido que se tornou no desportivo mais vendido do mundo na época. Entre 1969 e 1978 foram vendidas cerca de 500 mil unidades.
Em 1982 foi apresentado o Prairie, um novo conceito de viatura, com portas basculantes, que tornam o acesso mais fácil.
Entretanto, a Nissan continuou a ter sucesso com modelos como o Bluebird, o Sunny e o Cherry, que sofreram várias remodelações ao longo dos anos.
Devido às restrições europeias à importação de automóveis, a Nissan resolveu montar uma fábrica em Inglaterra, que começou a funcionar em 1986 com o fabrico de Bluebird. A fábrica foi dotada de um gabinete tecnológico, responsável pelo desenvolvimento do primeiro modelo da marca feito especificamente para o mercado europeu, o Primera, lançado em 1990.
Dois anos depois surgiu o utilitário Micra, que se tornou num dos mais bem sucedidos carros da marca, o que levou a que fosse renovado por diversas vezes.
Nesse mesmo ano foi também lançado o bem sucedido todo-o-terreno Nissan Terrano, concebido em parceria com a Ford.
Apesar do sucesso dos modelos Nissan, a marca japonesa atravessou um período de crise financeira, que tentou ultrapassar através de uma aliança, em 1999, com a Renault, de França.

Os carros da marca mais conhecidos actualmente são:

Nissan Qashqai

nissan-qashqai.jpg

http://www.diariomotor.com/imagenes/nissan-qashqai-today-0.jpg 

Nissan Note

nissan-note.jpg

http://www.km77.com/marcas/nissan/2006/note/gama/gra/01.jpg

                                         Nissan Micranissan-micra.jpg  http://www.autozone4cars.com/AutozoneNewweb/images/31692.jpg

Peugeot Abril 5, 2007

Posted by pepe2 in História do Carro.
6 comments

peugeot-logo.jpg

http://www.golf-foundation.org/images/uploaded/logos/Peugeot%20Logo%20Spot%20Colour.JPG

Em 1890 foi fundada em França, na localidade de Valentigney, uma empresa com o nome Os Filhos dos Irmãos Peugeot, que se dedicava a produzir equipamento agrícola.
Armand Peugeot, um dos donos, comprou um motor a gasóleo à Panhard e assim a sua empresa tornou-se na segunda em França a construir automóveis.
No ano seguinte, 1891, começaram a ser vendidos os primeiros modelos da Peugeot e quatro anos depois a marca foi a primeira a entrar em corridas equipada com os também franceses pneus Michelin.
Entretanto, a Peugeot cresceu e começou a fabricar os seus próprios motores.
Em 1906, um dos irmãos, Robert, fundou uma empresa concorrente, a Lion-Peugeot, mas pouco tempo depois as duas marcas fundiram-se e adoptaram como símbolo o leão, que ainda hoje usam.
A Peugeot lançou o seu primeiro pequeno carro em 1912, um modelo desenhado por Bugatti e chamado Bébé, que viria a marcar aquela época em termos de design automóvel.
Nesse mesmo ano, a peugeot, que também se dedicava às corridas, venceu o Grande Prémio de França, feito que repetiu no ano seguinte, 1913.
A partir de 1936, com o lançamento do 402, a marca francesa iniciou a utilização de um número com três algarismo, sendo o do meio um zero, para dar nome aos seus modelos. Essa tradição ainda hoje se mantém.
Após uma paragem de produção durante a Segunda Guerra Mundial, a Peugeot passou a apostar mais na qualidade da viatura do que na aparência tendo aparecido carros como o 403, o 404 e o 504.
Em 1964 a Peugeot e a Citroën iniciaram uma longa parceria que do lado dos primeiros teve como resultado inicial o 204, estreia da marca em motor transversal, de tracção dianteira.
Dez anos depois a Peugeot comprou a Citroën e em 1975, em parceria com a Renault e a Volvo, foi desenvolvido o motor PRV V6, inicialmente desenvolvido pelos norte-americanos da Chrysler.
Em 1977 foi lançado o modelo 305, da gama média, que veio dar outra imagem aos carros da marca, que perdiam para os outros em termos de design. A mudança de imagem prosseguiu em 1979 com o familiar 505.
O Peugeot 205, lançado em 1983, relançou definitivamente a marca no mercado mundial. Apesar de no início as vendas terem sido relativamente fracas, os novos conceitos de design e mobilidade acabaram por atrair muitos compradores, fascinados também com as versões GTi, mais desportivas.
Com base no pequeno 205 foi construído em 1984 um potente modelo de competição com motor turbo e quatro rodas motrizes, designado 205 T16, que triunfou nesse ano e no seguinte em vários ralis do campeonato do Mundo.
Nessa altura era também produzido o 309 a que se seguiu em 1987 o familiar 405, um dos carros franceses que mais sucesso obteve no mercado britânico. Em 1989 apareceu o ainda maior 605, mas já sem o sucesso do 405, com o qual era muito parecido. No entanto só em 1999 viria ser substituído pelo mais arrojado e fiável 607.
Entretanto, foram surgindo ao longo da década de 90 o pequeno 106 (1991) e o 306 (1993), destinado a substituir o 205, mas sem grande sucesso. O 205 manteve-se assim em produção até 1996. Só em 1998 surgiu um verdadeiro substituto para o 205, chamado 206.
Ainda em meados da década de 90 tinha surgido o monovolume 806, idealizado e concebido em parceria com a Citroën, a Fiat e a Lancia.

Os carros da marca mais conhecidos actualmente são:

Peugeot 1007

peugeot-1007.jpg

http://www.autoplus.fr/diaporama/images/PROM-6P6HL7/$file/peugeot_1007-RC@2004_0017.jpg

   

Peugeot 207 CC

peugeot-207cc.jpg

http://www.teras.com.br/images/207ccfront.jpg

 

Peugeot 307 CC

peugeot-307-cc.jpg

http://images.ciao.com/ies/images/products/normal/463/Peugeot_307_C_C__353463.jpg

Mercedes-Benz Abril 4, 2007

Posted by pepe2 in História do Carro.
2 comments

mercedesbenz_logo_black.jpg

http://www.amoe.de/images/MercedesBenz_Logo_black.jpg

A Mercedes-Benz nasceu da fusão de duas companhias de automóveis: a Daimler Motoren Gesellschaft e a Benz & Cie. Antes da sua formação, em 1924, ambas as empresas produziam já automóveis brilhantes, que rivalizaram entre si durante aproximadamente trinta anos. No início da Primeira Guerra Mundial, as duas companhias tiveram de interromper a produção de automóveis para se dedicarem à produção de material bélico, voltando ao ramo automóvel no fim da guerra. Os problemas começaram quando, na Alemanha do pós-guerra, as agitações sociais e as crises na economia eram uma constante. A nível automobilístico, a pouca ou nenhuma existência de combustíveis, bem como a taxa de 15% de bens de luxo, levaram a uma quebra desastrosa da produção de automóveis. Para fazer face a este cenário, a Daimler Motoren Gesellschaft e a Benz & Cie decidiram juntar-se. No ano de 1924, as duas empresas assinaram um “acordo de interesses mútuos” num documento onde ficou estipulado que as diferentes identidades iriam ser mantidas e que o acordo teria uma validade até ao ano 2000. As duas companhias emergem com relativa facilidade a 28 de Junho de 1926, passando a identificar-se como Mercedes-Benz, cujo símbolo ficou uma estrela de três pontas. Actualmente, esta marca é uma das mais conceituadas do mercado automóvel e é considerada, também, uma das mais seguras. Em 1928 a marca alemã inicia a produção do “SS” (Super Sport), este modelo viria a ser um ícone da marca tendo vencido o Grande Prémio da Alemanha desse ano. No salão de Paris de 1930 foi lançado um modelo de luxo, o 770, um oito cilindros em linha sobrealimentado. Durante a Segunda Guerra Mundial a produção automobilística foi estrangulada, tendo sido a capacidade produtiva orientada para a produção bélica. Depois da guerra, o único carro produzido pela marca foi o 170V de 1947. A década de 50 foi marcada pelo lançamento do Gullwing, em 195x, que viria a ser substituído pelo 300 SL Roadster em 1957. Este modelo montava já travões de disco às quatro rodas desenvolvidos pela Dunlop. Os anos 60 foram marcados pelas versões Roadster do modelo SL, dos quais se destacam o 190 e o 230, este último com um motor de seis cilindros. No salão de Génova é mostrado uma versão experimental de um super-desportivo, o Experimentalfahrzeuge C 111/II, que com quatro rotors Wankel debitava 350 cv de potência. Na Primavera de 1971, e em substituição do 280 SL (em produção desde Janeiro de 1968), foi lançado o desportivo 350 SL que viria a ser produzido em larga escala. Em 1982 a marca alemã lança o 190, um modelo compacto, com uma suspensão revolucionária, em que a segurança é a palavra de ordem. O 190 esteve no activo até ao início de 1993, tendo sido substituído pelo classe C que, em 2001, foi substituído por um modelo inteiramente novo. Em 1997 nasce o SLK, um modelo Roadster compacto, que conta com um engenhoso sistema de recolhimento do tejadilho. Este modelo sofreu uma profunda remodelação em 2004. Em 1998 a Mercedes-Benz entra pela primeira vez no segmento dos utilitários com a série A. O série A foi comercializado inicialmente com três propulsores, dois a gasolina (um 1.4 e um 1.6) e um a diesel 17 CDI. Em 2002, e no seguimento das grandes berlinas de luxo produzidas pela marca, é lançado o carro mais luxuoso de sempre, o Maybach. Este modelo foi apresentado em duas versões, o 57 e o 62, que medem 5,7 e 6.2 metros, respectivamente. Os preços para estas versões começam nos 400 mil euros.
A 8 de Maio de 1998 a Chrysler e a Mercedes-Benz anunciam a vontade de se unir, e a 18 de Setembro desse mesmo ano foi criada a Daimler Chrysler.

Os carros da marca mais conhecidos actualmente são:

Mercedes Classe SL Roadster

roadster-sl.jpg

 http://foto.autozone.be/fotoseurotax/450/mercedes-benz-classe-sl-roadster-(r230)-2006-5248.jpg

 Mercedes Classe CLS

cls.jpg

http://www.dir-autoemoto.com/imag_auto/Mercedes_Benz_Classe_CLS_auto.jpg

Mercedes Classe S

classe-s.jpg

http://www.haveanicecar.com/default_zone/documents/mbs.jpg

Bibliografia Abril 3, 2007

Posted by pepe2 in História do Carro.
1 comment so far

Quem inventou o carro:

  • O Livro Do Automóvel, Selecções do Reader’s Digest, Lisboa, 1976.

O primeiro carro com um motor de combustão interna:

Biografia de Karl Benz:

O primeiro carro a ser produzido em série:

Biografia de Henry Ford:

Em busca do conforto:

  • “O Livro Do Automóvel”, Selecções do Reader’s Digest, Lisboa, 1976.

KDF:

Isetta:

O carro moderno:

  • “O Livro Do Automóvel”, Selecções do Reader’s Digest, Lisboa, 1976.

Opel, Nissan, Ford e Mercedes-Benz:

  • Diciopédia 2004

Toyota e Peugeot:

  • Diciopédia X

FIM Abril 2, 2007

Posted by pepe2 in História do Carro.
3 comments
O nosso trabaho sobre a História do Carro acabou, mas as outras secções estarão em constante mudança. Continuem a visitar o nosso blog!

 

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.